3
abr

O QUE É THRESHOLD POWER?

Há mais de 30 anos,  é do conhecimento dos fisiologistas do exercício  que o limiar de lactato (LL), ou seja, aquele patamar  de intensidade do exercício em que o lactato começa a se  acumular  no sangue de uma pessoa, constitui-se em um poderoso elemento para prever sua capacidade de performance e endurance. Isto porque, apesar da capacidade cardiovascular de um indivíduo, ou seja, do seu consumo máximo de oxigênio (VO2max) definir o limite superior para a sua taxa de produção de energia aeróbica, é a sua condição metabólica, ou seja, o seu LT (Limiar de Lactato) que determinará a porcentagem ou fração de seu VO2max que pode ser utilizado por um dado período de tempo.

163390_532194430144428_907781262_nff

Os fatores fisiológicos que determinam o LT são complexos mas, neste contexto, os níveis de lactato no sangue  servem como um marcador indireto para as reaçoes bioquímicas do músculo exercitado. Dessa forma, o LT de uma pessoa irá refletir a capacidade de seus músculos em suprir o fornecimento de energia demandada e acabará por determinar o  “mix” de combustível (carboidratos vs. gordura) usado, bem como o desenvolvimento da fadiga muscular.

Consequentemente, o LT – especialmente quando expresso em potência (watts) e associado ainda à eficiência mecânica do ciclismo – é o determinante fisiológico mais importante de desempenho nos mais diversos tipos de eventos, desde os  mais curtos, como 3 km perseguição, até numa competição com  3 semanas de duração( Giro de Italia por exemplo).

??????????????????????????images

Sobressai ainda mais sua importância  na medida em que a tensão metabólica experimentada em um exercício de certa intensidade depende da potência gerada em relação a potência no LT. Aliás, é este parâmetro que fornece uma base fisiológica em torno do qual se pode elaborar qualquer programa de treinamento baseado em medidor de potência.

download (1) download?????????????

Então, como é que se determina a potência de limiar?  Obviamente, uma maneira é através de testes de laboratório com amostras invasivas de sangue, mas poucas pessoas têm acesso a tais testes regularmente. Além disso, a potência no LT determinado desta forma é muitas vezes significativamente abaixo do que atletas e treinadores tendem a pensar como um “limiar”. Uma maneira mais conveniente e possivelmente mais exacta de determinar a potência de limiar funcional é, portanto, simplesmente confiar em dados recolhidos através do medidor de potência no campo. Há uma série de maneiras diferentes de fazê-lo, cada um com suas vantagens e desvantagens, mas todos com estimativas muito similares de potência de limiar. Em ordem crescente de complexidade,  são: 1. Uma boa estimativa de potência de limiar funcional  pode ser obtida pelo TrainingPeaks WKO +, um software encontrado na internet, em que se pode simplesmente inserir os dados de treino e, em seguida, examinar a distribuição de freqüência de energia encontrada no “Atleta Home Page”. Como o exercício acima do limiar é bastante cansativo e há um limite de tempo para seu desenvolvimento, muitas vezes, haverá uma queda expressiva sobre este ponto no gráfico. (Esta mesma abordagem funciona ainda melhor para a identificação de freqüência cardíaca máxima espontaneamente alcançada de um indivíduo – reduzindo ou mesmo eliminando a necessidade de testes formais). Naturalmente, este método funcionará melhor se o período de tempo a ser analisado incluir alguns treinamentos de alta intensidade e / ou corridas, que servirão para fazer a distinção entre sub-limiar e supra-limiar de forma mais distinta. Dessa forma, o TrainingPeaks possibilta, através de gráficos personalizados, uma análise dos testes e a elaboração de treinamentos. 2. Outra forma de estimar a potência de limiar sem a realização de qualquer teste formal é simplesmente avaliar a potencia constante que você pode rotineiramente produzir em treinos mais longos e duros, por exemplo, intervalos ou repetições destinados a aumentar LT, ou durante subidas mais longas. No TrainingPeaks WKO +, a maneira mais fácil de se fazer isso seja, talvez,  adicionando uma linha de grade horizontal em um  gráfico “empilhado” de um treino adequadamente escolhido (ou competição), e procurar pelos segmentos em que a força foi quase constante durante alguns minutos ininterruptos. Então, poder-se-á ajustar a linha de grade para cima ou para baixo, conforme necessário, para aprimorar a melhor estimativa da potência do limiar. 3. Talvez uma forma ainda mais precisa de determinar a  potência de limiar, e ainda sem  exigir qualquer teste formal, é examinar a  potência normalizada durante1 hora de competição. Deixe que o  TrainingPeaks calcule automaticamente a potência normalizada mesmo que você ainda não tenha encontrado um valor para a sua potência de limiar. Usando o programa  primeiro para analisar vários resultados de corrida pode ser o caminho mais rápido para se chegar a uma boa estimativa da sua potência de  limiar. 4. Uma vez que, por definição, a melhor medida de desempenho é o desempenho em si, a estimativa mais fidedigna do (limite) de potência sustentável será obtida simplesmente fazendo uma hora de contra-relógio. Ao examinar o gráfico horizontal dos dados do referido treino no TrainingPeaks , será possível dizer rapidamente se o esforço foi bem ritmado, ou se, talvez por ter iníciado muito forte, houve uma quebra, resultando na potência média subestimando a potência de  limiar de verdade 5. Finalmente, para aqueles  mais calculistas, há testes formais para se determinar a “potência crítica”, como descrito na literatura científica. Resumidamente, esta abordagem consiste em traçar o trabalho total realizado (em joules) durante uma série relativamente curta (ou seja, entre 3 e talvez 30 min), estress máximo durante curto período (em segundos) e, em seguida, traçar  uma determinada linha com os dados obtidos. O declive desta linha é a potência crítica, que fica bem próximo à potência de limiar funcional apurada em qualquer um dos métodos anteriormente descritos. Uma vez que um objetivo de qualquer programa de treinamento é aumentar a potência no limiar, os valores utilizados no TrainingPeaks devem ser periodicamente atualizados  para garantir sua precisão e eficiência. O grau de variação  na potência de limiar está diretamente relacionado ao histórico de treinamento do indivíduo e de seus hábitos . Assim, por exemplo,  se alguém estiver começando e/ou retornando o ciclismo,  poderá apresentar grandes e rápidas  mudanças  na sua potência de limiar, ao passo que um atleta experiente, que vem  treinando por muitos anos, e/ou um atleta que mantém um alto nível de condicionamento durante todo o ano, provavelmente irá experimentar bem menos variações. Em geral, todavia, a avaliação periódica do limiar de potência apenas algumas vezes por ano (por exemplo, perto do início do treinamento de base, e no meio do período pré-competitivo para rastrear  melhoria, e durante a temporada para determinar o pico de performance alcançado) se mostra suficiente.

WWW.BYJAPAO.COM.BR

https://www.facebook.com/japao.carvalho

https://www.youtube.com/channel/UCYGPLfo8KhRkrxJFf0bMe0g

Veja também

Comentários